Se você acha que não foi golpe, está na hora de terminar o serviço;

Se você acha que foi golpe, está na hora de afastar os mais perigosos.

 

Pergunta que faria sentido e efeito na construção de uma sociedade invejavelmente saudável:

O que você fez, teria feito ou fará para melhorar sua vida e sua comunidade se não fosse barrado e prejudicado por aquele que promete te ajudar ?

 

É dificil dizer exatamente quando, mas o Facebook foi tomado pelo politicamente correto. O controle do comportamento e do pensamento ganhou forma, relevância e agora reinvidica legitimidade.

Como ambiente privado e de adesão voluntária, a discussão da legitimidade é dispensada e, se não há espaço para liberdade, se a censura é uma possibilidade, nada mais resta que a liberdade do lado de fora.

O lado de fora tem muitas opções, suas vantagens e suas desvantagens. O VK é uma delas. É uma rede social, baseada na Russia e cuja adesão local é maior que a do Facebook. Oferece todas as funcionalidades equivalentes às do Facebook e é tecnicamente superior. Se posiciona como concorrente direto do Facebook e, entre outras diferenças, está apostando na liberdade do usuário como atrativo. Não há censura ativa. Isso tem funcionado muito bem, tanto para manter seus atuais usuários quanto para atrair os potenciais censuráveis do Facebook.

O VK não é um ambiente para crianças. É preciso ter censura própria, mais do que auto-censura. Censura própría é assumir a controle e a responsabilidade do que consome, valorizando o que julgar saudável e condenando ao descarte e ostracismo o que julgar nocivo.

O Facebook está virando um ambiente para crianças. Longe de ser seguro. Presume-se que os que ali permanecem são incapazes de julgar e agir, precisam de cuidados e de vigilância, firme e contínua. Isso não tem nada a ver com segurança para essas crianças, mas com controle para seus tutores.

Procurar um ambiente de interação que não ofereça esse cuidado é a oportunidade para se verificar quantos adultos sobraram para tocar a sociedade.

Redes sociais ainda são o futuro. Face e VK ainda não são. Sistemas centralizados e fechados como os que usamos hoje concentram muito poder e, seja qual for a proposta inicial, sempre se voltarão para a manutenção desse poder. Estruturas federadas são o caminho para aplacar esse problema. Sistemas como Noosfero e Diaspora estão aí para serem descobertos e explorados.

 

 

 

Melhor que criar problemas é resolver os problemas errados.